Uma Companhia para a VIHda


Se é portador do VIH/SIDA não precisa de desfazer-se do seu animal de estimação. No entanto e ainda que os riscos sejam baixos poderá contrair uma infecção com o seu animal de estimação ou outros animais. É suficiente tomar algumas precauções simples em relação a animais de estimação ou outros animais. O VIH não pode propagar-se através de gatos, cães, aves ou outros animais de estimação.

Devo manter os meus animais de estimação?

Sim. A maior parte das pessoas com o vírus da imunodeficiência humana (VIH) podem e devem manter os seus animais de estimação. Ter um animal de estimação pode ser gratificante. Os animais podem ajudar a sentir-se melhor sob ponto de vista psicológico e inclusivé fisicamente. Para muitas pessoas os animais de estimação são mais que simples animais... são como membros da família. Sem dúvida, é importante que conheça bem os riscos de ter um animal ou de cuidar de animais. Os animais podem ser portadores de infecções perigosas. A decisão de possuir ou cuidar de animais deverá fundamentar-se no conhecimento do que precisa para proteger-se das infecções.

Que tipo de infecções pode um animal transmitir-me?

Os animais podem ser portadores de criptosporidiose, toxoplasmose, o complexo Mycobacterium avium e outras doenças. Estas doenças podem causar-lhe problemas como diarreia severa, infecções cerebrais e lesões na pele.

Que posso fazer para me proteger de infecções propagadas por animais?

Lave sempre as mãos com água e sabão depois de brincar ou de cuidar dos animais. Isto é particularmente importante antes de comer ou tocar em alimentos.
Seja cuidadoso com o que comem ou bebem os seus animais. Alimente-os somente com comida para animais ou cozinhe bem a carne antes de a dar ao seu animal. Não lhes dê carne crua ou mal cozida. Não permita que os seus animais bebam água não potável ou que mexam no lixo. Não permita que apanhem ou comam excrementos de outros animais.
Não toque nos animais que tenham diarreia. Se a diarreia durar mais que um ou dois dias peça a um amigo ou familiar que não esteja infectado pelo VIH que leve o animal ao veterinário. Peça ao veterinário que determine quais são as infecções que possam ter causado a diarreia.
Não leve para sua casa um animal doente. Não adquira um animal de estimação que tenha mais de seis meses de idade, especialmente se tiver diarreia. Se comprar um animal numa loja, num local de criação ou num canil municipal de animais, verifique as condições sanitárias e licenciamento desses locais. Se não tem a certeza acerca do estado de saúde do animal peça a um veterinário que o examine.
Não mexa em animais estranhos pois podem arranhá-lo ou morder-lhe. Os animais abandonados podem ser portadores de muitas infecções.
Nunca toque nos excrementos de nenhum animal.
Faça mudar diariamente a areia higiénica do seu gato por alguém que não esteja infectado com o VIH e que não seja uma mulher grávida. Se tiver que limpar a caixa pessoalmente use luvas de vinil ou borracha e lave as mãos com água e sabão logo após ter mudado a areia.
Mande cortar as unhas ao seu gato para que ele o não arranhe. Fale com o veterinário sobre outras maneiras de evitar as arranhadelas. Se for arranhado ou mordido lave imediatamente as feridas com água e sabão.
Não permita que ao seu animal lamba a sua boca ou qualquer ferimento que possa ter.
Não beije o animal.
Mantenha o animal sem pulgas.
Evite répteis como serpentes, lagartos ou tartarugas. Se tocar num réptil lave imediatamente as mãos com água e sabão.
Use luvas de vinil ou borracha quando limpar os aquários ou gaiolas dos animais e lave muito bem as mãos depois de terminar a tarefa.
Se for mordido pode precisar de uma consulta médica.

Tenho um emprego onde trabalho com animais. Devo abandoná-lo?

Os empregos que requerem trabalhar com animais (lojas de animais, clínicas veterinárias, quintas ou matadouros) aumentam o risco de infecções. Fale com o seu médico acerca disso e se deve trabalhar com animais. As pessoas que trabalham com animais devem ter estas precauções especiais:
Cumprir as normas de segurança do seu local de trabalho e reduzir todo o risco de infecção.
Usar roupas e utensílios de protecção como batas, botas e luvas.
Não limpe galinheiros nem cave em áreas onde poisem aves que possam ter histoplasmosis.
Não toque em crias de animais de quintas, especialmente se tiverem diarreia.

Pode uma pessoa contaminar o seu animal de estimação?

Não. O VIH não pode propagar-se através de gatos, cães, aves ou outros animais. Muitos vírus podem causar doenças que são parecidas com a SIDA, como o vírus da leucemia felina dos gatos. Estes vírus causam doença somente em certos animais e não podem afectar outros animais ou os seres humanos. Por exemplo o o vírus da leucemia felina dos gatos só infecta gatos mas não pode infectar os seres humanos ou os cães.

Que análises deve fazer ao seu animal antes de o levar para casa?

O animal deve estar em boa saúde. Não é necessário fazer análises especiais a menos que o animal tenha diarreia ou pareça doente. Se o animal estiver doente o seu veterinário pode ajudá-lo a determinar o tipo de análises que são necessárias.

Que fazer quando visito amigos ou parentes que tenham animais?

Quando visitar alguém que tenha animais tome as mesmas precauções como se estivesse na sua própria casa. Não toque em animais que possam estar doentes. Alguns animais como os gatos podem morder ou arranhar para afastar as crianças. Os adultos deveriam ser particularmente vigilantes e supervisionar a lavagem das mãos de uma criança infectada com o VIH para prevenir infecções.

12 comentários:

Paradoxos disse...

Paulo realmente há poucas pessoas com a tua entrega aos outros. Voltarei sempre pra me manter informado. É um pensar leviano e tolo pensar que este problema é apenas dos outros. É que esses tais outros somos todos nós! Forte abraço amigo!

Maria Dias disse...

Oi Paulo...

Muito legal esta informação sobre os animais!Por coincidência, ganhei um gatinho e estou apaixonada(amo gatos!rs...).A tua informação serve tb para os não infectados!A higiêne é fundamental para termos bichos dentro de casa em qualquer situação...Gostei muito pois, tinha dúvidas e venho tratando meu bichinho exatamente como tu ensinas!Quando adiquiri meu gatinho, pensei nas pessoas solitárias pq estes bichinhos fazem muita companhia e nos desperta um amor sem querer troca. Acaba sendo como um filho e sabemos que um bichinho assim nunca irá nos decepcionar.Acho que estas dicas tiram o medo das pessoas portadoras do HIV e que se sentem só um bichinho nesta situação seria maravilhoso...De qualquer forma, vc pode estar só no meio da multidão seja em qual situação fot não é mesmo?

Aproveito para lhe comunicar que só estarei por aqui a partir da semana q vem...Deixei um recadinho no meu blog!
Fiquem bem!

Beijinhos!

Paulo disse...

Paradoxos
Fico muito feliz pela tua visita a este cantinho dedicado à causa da SIDA. Gostei muito do teu blogue e fiquei muito impressionado pela qualidade da tua escrita. Bem hajas por seres quem és.
A SIDA não é um doença só de alguns. A qualquer momento poderá ser uma doença de todos nós. Foi isso que aconteceu comigo.
Quando tiveres tempo, vai lendo os nossos textos no grupo de blogues Sidadania.
Farei o mesmo relativamente ao teu blog que considero de inquestionável valia.
Um abraço sincero e amigo.

Paulo disse...

Maria Dias
Ter um animal de estimação é deveras gratificante em todos os aspectos. Eu tenho uma cadela, que adoro.
Muitas felicidades para o teu gatinho e sempre que puderes passa por aqui.
Um beijinho muito especial e muito obrigado pela tua amizade.

Fatyly disse...

Paulo
Mais uma informação muito importante para quem está infectado e até para quem não está.

Dizes: "Para muitas pessoas os animais de estimação são mais que simples animais... são como membros da família" o que deveria ser sempre assim, porque como muitos procedem mais valia não o terem.

Fui criada no meio de animais, cães, gatos e até uma raposa bébé que apareceu no quintal e foi criada com os outros.
Agora sou totalmente contra ter-se cães de grande em apartamentos ou varandas exíguas. Ter em gaiolas araras e papagaios cinzas que endoidecem...enfim, mas cada um sabe de si.

A minha filha mais nova por volta dos seus 5/6 anos era tremendamente insegura, o oposto da irmã mais velha. Um dia um amigo meu (psicólogo) disse-me arranja-lhe um cão ou um gato porque tu mandas nelas, a mais velha manda na mais pequena e esta por sua vez não tem em quem mandar:)

Pois é, apareceram-me cum um gato minúsculo e tão ranhoso e as lágrimas eram tantas que acedi a receber o bicho e fui logo com o dito micróbio ao veterinário. Como disse que nunca iria para a rua lá levou as vacinas cavalares para tal (o de rua tem ser doseada e repetidas) e uma "semi castração" (não sei o nome exacto - se fugisse fazia vida com as ladys gatas só que não teria filhos). Aconselhou-me a dar da nossa comida ou apenas latas próprias e granulado. Optei pela 2ª.
Quando ia a sair disse-me: olhe e vá se preparando que vai ter um belo e grande gato e vai durar muito tempo.
Todos os cuidados que referes em termo de higiene (imagina que até lhe lavavam os dentes), dava-lhe banho de 15 em 15 dias até ter feito 7 anos, em não morder as visitas, a minha filha grávida não se chegava a ele devido à toxoplasmose uma vez que não estava imune, as pulgas, o cortar as unhas, o desparasitador... etc. Nunca mais foi ao veterinário porque como não saia de casa e nunca teve nada de nada. Fez 20 anos em Julho do ano passado. Em Setembro e felizmente que a minha mais nova não estava em casa, a partir das 4 a manhã nem te digo o que passei com ele. Ás 9 fui ao veterinário e teve que ser abatido.

Mas as minhas netas eram alérgicas ao pelo e o meu genro asmático tás a ver né?. Fechava-o na varanda com todas as mordomias, mas se eventualmente faziam-lhe alguma festa...lavavam logo as mãos.

Era um bicho que tinha muitos ciúmes de quem se abeirasse de mim e tive por vezes "sustos" porque amigas e amigos que cá vinham...oh pá não feches o bicho...e sem ninguém dar por nada...saía mordidela e arranhadela.

Quando o organismo está débil pelo Hiv ou outra patologia, de facto pode contrair-se doenças através de animais, sobretudo os que infelizmente são abandonados.

Adorei este bocado de leitura e reflexão.

Uma beijoca

Paulo disse...

Faytly
Delicio-me com tudo o que me contas. Que gato mais manhoso que arranjaste... :)
Ter um animal doméstico significa que devemos tratar dele como mais um elemento da nossa casa e em especial ter a maior atenção à manutenção da sua saúde.
Adorei o teu comentário, como sempre.
Beijinho especial.

Odele Souza disse...

Paulo,
A foto que ilustra este post está uma fofura.

Acho muito gratificante ter um animal de estimação. Como moro em apto.tenho uma poodle que hoje está com seis anos, a Michele. Dei esse nome à ela em homenagem a uma amiguinha de infância de Flavia, e comprei Michele, numa esperança quase infantil de que os latidos dela "acordassem" Flavia de seu estado de coma. Os latidos de Michele não acordaram Flavia mas ela se tornou tão querida aqui em casa que é mesmo uma alegria tê-la por perto.

Muito bacana sua explicação sobre animais de estimação X contaminação HIV.

Um beijo Paulo.

M. disse...

Lamentavelmente eu não posso ter animais em casa, sou alérgica ao pêlo. Ainda arrisco umas festas nos gatos da minha mãe e um dia destes ia sendo o meu fim.. Tive um cão que adorava e me esperava todos os dias à porta, mas além de dedicado era maluco e saiu disparado para a estrada onde encontrou a morte. fiquei de rastos. depois tive um papagaio lindissimo, não falava porque viveu pouco tempo e eu nunca percebi porquê. e uns peixinhos e tal, também não duraram. No final decidi que não queria mais, afeiçoo-me demasiado e depois é o diabo das preocupações.. enfim..
eles merecem melhor :))

E muito bom post que aqui deixas Paulo, a informação é essencial nos dias que correm.

Beijo para ti

Paulo disse...

Odele
Também gosto muito da ilustração deste post... É terna e representa os cães e os gatos,que só por si são muito belos.
Conheço a Michele pois já vi uma foto dela, penso que no seu blog. Ela será sempre uma alegria em sua casa. Um beijinho para si e outro, sempre do tamanho do mundo para Flávia.

Paulo disse...

m.
Que pena seres alérgica ao pêlo. O acidente ocorrido com o teu cão foi também desastroso. Do que já te conheço sinto perfeitamente que te afeiçoas de imediato e demasiadamente. Sabes, és como eu... sempre sensível. Tenho uma cadela linda, a viralata da minha vida, que me ampara sempre, em todos os momentos...
Os animais são mesmo amigos e nunca nos decepcionam.
Um beijo abraçado para ti, enorme. Cada dia que passa que gosto mais de te ler e de te conhecer...
Obrigado, tá...

Arnaldo Reis Trindade disse...

Paulo,

se mostrando cada vez mais prestativo e mais cauteloso com a causa, parabens pelo texto, parabens pelos textos, e como disse a Maria, estes cuidados são essencias também pra quem não está infectado.


Abraço

Paulo disse...

Arnaldo,
Que bom a tua visita.
Desejo do fundo do coração que os teus estudos e o teu trabalho estejam a correr da melhor forma.
Força e Coragem. Só assim poderás conseguir uma vida estável e feliz.
Obrigado pelo teu comentário e já sabes, tens aqui um amigo para toda a vida.