Diagnóstico Recente?


Tomar conhecimento que o seu teste para o VIH é positivo pode ser uma experiência assustadora e preocupante. Se bem que isso seja difícil de prever, o saber que é seropositivo deve pressupor que esteja em situação de agir no sentido de melhorar a sua saúde e de prolongar a sua vida.

Agora deve ter a oportunidade de poder ser monitorizado com regularidade e, se for caso disso, de ser tratado com medicamentos antiretrovirais ou outros medicamentos que previnam as infecções e as doenças que são frequentes nas pessoas com o VIH. Quanto mais tardiamente for feito o diagnóstico, maiores serão as lesões provocadas pelo vírus no seu sistema imune, o que poderá aumentar a dificuldade de actuação dos antiretrovirais e dificultar também a actuação e o controle dos medicamentos usados para as infecções.

No dia do diagnóstico

A maior parte dos centros de testes oferecem aconselhamento pré e pós-teste. Se tiver necessidade de um suporte adicional pergunte ao seu médico como fazê-lo.

Tomar decisões

A altura em que soube do seu diagnóstico é uma má altura para tomar decisões sobre o futuro. Tais decisões podem ir desde o momento em que vai iniciar tratamento até à decisão de contar à sua família ou amigos o seu diagnóstico.

Muitas pessoas não começam tratamento nesta fase. Será mais provável que comece a fazer testes com regularidade para saber como está a sua saúde e para poder ajudar o seu médico e a si próprio a compreender melhor como é que o seu corpo se sente com o VIH e como reage ao mesmo.

Se a sua doença estiver mais avançada então poderá ser necessário apressar a toma de medicação, em especial se não se sentir bem. É pouco provável que tenha que iniciar tratamentos de imediato e em geral deve ser proposto algum tempo de reflexão, dias ou semanas para se abordarem as opções terapêuticas.

Apoio médico

É importante que se sinta bem com o seu médico e hospital. Está no seu direito de não receber tratamento no local onde foi feito o diagnóstico. Poderá fazer tratamento numa localidade onde não reside.

Algumas pessoas preferem grandes centros onde tratem muitos doentes enquanto que outras preferem pequenos hospitais, com menos problemas. Contudo é importante que seja tratado por um médico com experiência no tratamento do VIH.

Uma vez escolhido o hospital, deve pensar que terá que recorrer pelo menos de três em três meses ao hospital. Nestas alturas terá oportunidade para conversar com o seu médico sobre a sua saúde, fazer análises de controle, particularmente a contagem de CD4 e a carga viral. Estes testes são usados para prever o risco de desenvolvimento de doenças e para o ajudar a decidir o início do tratamento antiretroviral.

Se começar tratamento, quer seja pelo VIH quer seja porque por exemplo seja incluído num ensaio clínico, pode ser-lhe pedido que vá ao hospital mais frequentemente.

Aprendendo acerca do VIH

Ao princípio começa por ouvir falar duma série de termos médicos que lhe são desconhecidos. Não se aborreça porque há muitas fontes de informação que pode consultar para se tranquilizar. Peça sempre ao seu médico para lhe explicar o que não perceber. Outras pessoas do hospital, tais como, enfermeiros e farmacêuticos podem também dar-lhe explicações. Se tiver ainda dúvidas ou incertezas peça material informativo escrito.

Declaração

Não se precipite sobre a quem e quando deve declarar o seu estado de seropositividade. Pense como deve fazê-lo. Que tipo de suporte será necessário para isso? Pode prever qual será a sua pior ou melhor reacção?

Comece por aqueles que estão mais perto na sua relação e que o podem ajudar; considere esperar para contar a outras pessoas, tais como colegas de trabalho ou outros, dado que a reacção deles pode ser prejudicial para si.

Reuniões de grupos de pessoas

Algumas pessoas consideram importante o apoio de outras pessoas com VIH, mas há outras que não consideram. Se houver uma associação local que se dedique a esse tipo de reuniões experimente a ajuda, onde poderá ouvir outras experiências. Não pense que vai receber benefícios de um grupo se não se sentir bem no seu meio e não sinta que cometeu um erro se não tiver reagido ao diagnóstico do mesmo modo que os outros. Não há o certo ou o errado na sua seropositividade mas é importante que comece com acção e que busque informação que necessita para ter uma vida saudável e longa.

10 comentários:

Fatyly disse...

Em nada na vida devemos actuar com a "cabeça quente". Gostei do que li porque lendo aprende-se sempre alguma coisa.

Um abraço

Maria Dias disse...

Oi Paulo...

Amanhã Domingo(provavelmente a noite) vou postar sobre o assunto(HIV)se puder passe lá para comentar e caso o meu post não esteja de acordo gostaria q me avisasse aonde errei.Aproveito para deixar aqui o meu e-mail
crika_67@hotmail.com

Bom fim de semana

Abraços

Paulo disse...

Fatyly
Quanto tomamos conhecimento de algo que nos apoquentará para toda a vida há que respirar fundo.
Pare, escute e olhe, e a vida renascerá de novo e muitas portas se abrirão.
Abraço sincero

Paulo disse...

Maria Dias,
Amanhã, lá estarei, para dar voz à publicação de tão importante tema.
Conte comigo, pois conto consigo!
Abraço

Odele Souza disse...

Paulo,

Como sempre, são preciosas as tuas informações sobre o HIV. Estou certa de que muitos infectados - ou não - saem daqui com muitas dúvidas a menos. Eu, aprendo sempre contigo e Raul sobre este tema.

Boa semana pra ti.

Paulo disse...

Odele
O Sidadania II tem como missão principal apoiar os infectados pelo VIH, em todos os aspectos importantes e vitais para a manutenção da patologia. Da nossa parte cumpre-nos informar sempre e assim o faremos.
Um beijinho

Borboleta disse...

Oh Paulo...como eu gosto da tua maneira de explicares as coisas!!

Explicas com clareza, colocas os post de forma a que seja quem for para, olha, escuta e pensa!!!

É tão bomexistirem pessoas assim como tu, a ajudares outras pessoas...e ainda dizes que sou um óptimo ser humano...e tu, o que és? Estás bem à frente da minha pessoa!!! OBRIGADA!!!!

Beijinhos

sideny disse...

paulo
quando soube da minha infeçâo fiquei claro triste,mas nâo disse que o mundo me cai em cima.
como costumo dizer levei com um grande balde de agua fria.
meditei,acalmei e procurei outras pessoas infectadas que me pudessem esclarecer,duvidas esclarecidas e continuar a viver ,claro com algum cuidados a ter.
o medico tambem tem o dever de esclarecer e eu tenho sorte nisso.
depois fui a varios congressos, bastantes ate, ajudou muito tambem.
bej

Paulo disse...

Borboleta
Fico muito feliz por entenderes bem as mensagens que pretendo transmitir.
Obrigado pelos elogios, fico lisonjeado.
Convido-te a visitares o Sidadania I, o blogue mãe, onde estão os nossos posts por excelência. Este blog (Sidadania II) pretende ser mais técnico, no apoio directo a seropositivos.
Já agora, e se não for pedir muito, visita também o Sidadania HA_ART onde uma imagem vale por mil palavras, o Sidadania Humor, onde poderás sorrir e até quem sabe rir e o recentemente inaugurado Sidadania Memória, onde estão posts antigos, pertencentes ao Sidadania I, e que queremos que não façam apenas parte do nosso baú de palavras.
Um beijinho esvoaçante e ... Muito Obrigado. Xi coração para a Kuka e para a Flecha.

Paulo disse...

Sideny
Quando soube da minha infecção também fiquei muito triste. Tive a sorte de ter encontrado um médico excelente e de ter conhecido o Raul que me ajudou imenso e hoje é provavelmente o meu melhor amigo.
Como trabalho muito, tenho a vida muito ocupada, por isso não posso dispor de muito tempo para congressos e grupos de auto-ajuda.
Quem sabe no futuro ainda o possa fazer.
Espero também encontrar em Si uma boa amiga. Pelo que leio aqui, escrito por si, estou certo que é um grande ser humano.
Um beijinho