A Outra Face da Grandeza





Bioterrorismo. Não é fruto da imaginação de escritores de ficção científica. É uma ameaça pendente que pode transformar-se em realidade. Trata-se do uso de agentes biológicos e químicos como meio de desencadear uma guerra visando não uma destruição de bens mas um ataque maciço de uma determinada população.

Os agentes biológicos são fabricados em condições de alta segurança e devido à sua instabilidade uma vez que se tratam de bactérias e vírus, muitos deles são armazenados num estado inofensivo só se tornando patogénicos quando libertados. Por melhores que sejam as condições de segurança não é impossível a ocorrência de acidentes que levam à libertação dos agentes para o ar dizimando um grande número de pessoas ou uma população inteira de seres vivos.

São sete as doenças mais importantes que resultam do arsenal biológico das grandes potências:

- Antrax – Um a três dias após a libertação provoca afecções pulmonares graves, e por se incorporar facilmente nos alimentos e na pele, a forma de contaminação é fácil. Foi em tempos alcunhado de “Pó branco” aquando dos ataques do 11 de Setembro, com a instalação do clima de medo.

- Varíola – A elaboração do vírus em laboratório é bastante difícil mas não impossível. A virulência deste agente é notável porque uma vez contaminando, o contágio entre humanos é possível por via respiratória e cutânea.

- Peste – A manipulação em laboratório é altamente perigosa. Uma vez solto, pode disseminar-se por mordeduras de rato e pelo ar. De seguida também existe o contágio entre pessoas.

- Botulismo – Infecta através da ingestão de toxinas, da respiração e da pele.
É de elaboração fácil em laboratório contudo não se propaga por contágio entre humanos mas sim apenas pela exposição directa ao agente.

- Outros agentes são os da Tularémia, febre hemorrágica e brucelose, todos de elaboração difícil e o último pouco letal pelo que são menos importantes a nível de contágio.

Vem este tema a propósito do veto que os Estados Unidos mantiveram e ainda hoje mantêm com mil e uma regras, à entrada no país de seropositivos. Se o espírito do homem serve para entender as coisas e o desafio é imenso quanto mais difícil for assimilá-las, somos especialmente desafiados para tentar entender este comportamento por parte de um país.

Numa terra que se diz aberta a todos e aos que sonham, ambicionando ser “all thing to all men”, numa sociedade que já devia ter enterrado os tabus e a discriminação, verificam-se atitudes de uma crueldade feroz, porque a atitude cruel também atinge o interior de um ser humano a ponto de quase se criar um “tribunal” que arrasta o ser em questão à humilhante condição de tudo ter se ser justificado. Falta cair demasiado preconceito.

Ao fim e ao cabo, o que caracteriza a grandeza de uma nação não é a riqueza e o arsenal militar. Tem de representar algo digno de admiração, algo que é exemplo a seguir. E se os Estados Unidos e outras grandes potências são admirados e invejados por todo o mundo, passa a muitos despercebida a urgência na mudança de certas regras que longe de os inferiorizar só lhe enriqueceria a face.

15 comentários:

R. Rudoisxis disse...

Bioterrorismo. Andamos às cegas e sem compreender o mundo em que vivemos. E não é só com produtos quimicos, pois conforme a tecnologia se desenvolve radiações de vários tipos podem provocar danos aos seres vivos. Em tempos li que o HIV teve a sua origem num projecto de uma arma biológica.
Sem pretensões a descobrir a verdade sobre a sua origem apenas constato que ele existe e me mordeu.
Nunca compreenderemos o que se passa nas mentes daqueles que comandam os destinos do planeta.
Um abraço

R. Rudoisxis disse...

Bioterrorismo. Andamos às cegas e sem compreender o mundo em que vivemos. E não é só com produtos quimicos, pois conforme a tecnologia se desenvolve radiações de vários tipos podem provocar danos aos seres vivos. Em tempos li que o HIV teve a sua origem num projecto de uma arma biológica.
Sem pretensões a descobrir a verdade sobre a sua origem apenas constato que ele existe e me mordeu.
Nunca compreenderemos o que se passa nas mentes daqueles que comandam os destinos do planeta.
Um abraço

Tony Madureira disse...

Olá,

Os Americanos deixam muito a desejar...
É a minha opinião sobre
estes "Senhores"

Abraço solidário.

Fatyly disse...

E há que mudar certas regras nomeadamente nos países "senhores do mundo". Pode ser que a mudança esteja para breve e que irá levar a um mundo menos "impestado".

Um abração

SILÊNCIO CULPADO disse...

Paulo
Não estou convicta que algum país se atreva a pôr em prática o bioterrorismo de que falas. As respostas, de tão sofisticadas, dizimariam toda a humanidade.
Mas o bioterrorismo pratica-se de diferentes formas e os USA são especialistas na matéria.
É ver o que se passa, e passou, em Guantanamo, é ver que esse País que alguns teimam em considerar desenvolvido, ainda continua a praticar a pena de morte, em nome de que justiça?
Um indivíduo é herói a matar pessoas indefesas no Vietnam e é condecorado pelos USA. Põe uma bomba em Okhaloma e é executado.
Arnold Schwarzenegger repôs a pena de morte na Califórnia após 3 anos sem execuções naquele Estado. E fê-lo em situações altamente polémicas que justificaram pedidos de clemência de todo o mundo. Com a descoberta do ADN sabe-se que nos USA (e não só)pessoas inocentes são anualmente executadas.
Isto para não falarmos nas guerras que dizimam populações indefesas em nome dum deus que a boca do Bush insiste em profanar.
E podia continuar sine dia as citações sobre o terrorismo praticado por esses senhores.
Neste contexto a discriminação dos portadores de HIV é uma insignificância por muito que doa aos próprios.

Se os USA não respeitam os direitos humanos por que haveriam de ter essa consideração relativamente aos portadores do HIV?
Paulo, meu querido, juntos lutaremos por um mundo melhor. E eu acredito que esse mundo há-de surgir.

Beijos

Paulo disse...

Raul

Comandar os destinos do planeta é por em causa a nossa existência.

Em prol do desenvolvimento, há que haver sempre o maior cuidado na preservação dos factores base, que sustentam a vida.

Um abraço

Paulo disse...

Tony

Deixam sim, até porque é comum serem os primeiros a por em causa a estabilidade e a paz mundial, associado a uma mentalidade cuja evolução não acompanha a par e passo, a modernização que apregoam desmesuradamente.

Um abraço amigo.

Paulo disse...

Fatyly

Estamos muitos esperançados para que tenhas razão.

O mundo só poderá beneficiar com isso.

Vamos lá ver...

O poder quando sobe à cabeça, chega a esmagar as convicções mais fortes e mais coesas.

Um beijinho

Paulo disse...

Lídia

Referes amplos exemplos do procedimento de um país contraditório.

Queixamo-nos do que nos afecta directamente, não menosprezando porém, todos aqueles que são sacrificados e que morrem vitimas de uma estúpidez abrupta e consistente.

Um abraço apertado.

isabel mendes ferreira disse...

oh P.a.u.l.o.




___________,,,




beijo.


.

obrigada.............!

Mar Profundo disse...

Olá, venho dar a conhecer o meu novo blog, apos alguns dias para ficar tudo bem decidi começar com ele, espero que goste de o visitar e que faça parte dos seus favoritos... com o tempos darei a conhecer o que gosto de fazer - Escrever..

Beijos e boa visita.

http://marprofundo.mine.nu

Paulo disse...

Isabel

de nada.

por nada.

por tudo [sempre]

!

Terno

Paulo disse...

Mar Profundo

Agradecemos o convite e muito sucesso para o blogue.

Cumprimentos da equipa Sidadania

isabel mendes ferreira disse...

há de FACTO NA VIDA SINTONIAS....


de ternos espaços e várias grandezas....
há o teu "ser" que lê....sente e respira. dá!


Tu.


e nós. os que te seguem. devagar devagarmente.

aos pouco subindo os degraus do dia.


onde te reencontramos. no conforto.


________abraço-te__________

navegadora disse...

Os paises são governados por seres humanos cheinhos de contradições...ou melhor seguem a matriz de quem os governa. Os EU e os paises ricos tem um entendimento distorcido do que é o bem estar e o bem comum. Usam o argumento da defesa como " arma de ataque"...e seguem a pesquisa no sentido inverso ao que esta deve ser, usam a tecnologia da forma mais negativa, colocando-a ao serviço de grupos com interesses próprios. Mas, há sempre um mas nestas dialéticas...vão surgindo esperanças, curas e utilizações que benificiam o ser humano em geral. Por isso que avançe a pesquisa...que a ciência e a tecnologia se disponibilizem para ajudar a curar...que o sentido crítico das populações não se deixe amarfanhar por um falso" bem estar". E que a mentalidade se abra à diferença...um beijo. Parabéns pela qualidade das reflexões que fazes e por me levares por caminhos onde o pensamento se trona mais assertivo e mais claro. Bem hajas:)