PESSOAS IMUNES AO VIH/SIDA


Existem pessoas com aparente resistência à infecção pelo HIV as quais podem dar pistas importantes para a pesquisa de vacinas contra a SIDA aos cientistas que tentam desvendar os mistérios do HIV e descobrir métodos de protecção contra a infecção. A noção de que determinadas pessoas têm uma resistência natural ao virus é ao mesmo tempo, uma hipótese fascinante e um verdadeiro enigma. Mais de duas décadas de pesquisas nesta área confirmam que o fenómeno existe. Em mais de 30 coortes de alto risco foram identificados indivíduos denominados Sero Negatívos Expostos (SNE) que conseguiram escapar da infecção, mesmo após uma ou várias exposições ao HIV. As pesquisas com essas pessoas resultaram na publicação de mais de cem artigos científicos, começando com um importante estudo envolvendo uma coorte de profissionais do sexo em Nairobi, no Quénia. Esse estudo, conduzido pelo cientista francês Plummer, Imunologista da Universidade de Manitoba. mostrou que algumas profissionais do sexo dessa coorte pareciam resistentes à infecção pelo HIV e que, de facto, havia uma diminuição nas taxas de infecção entre estas mulheres a cada ano em que elas continuavam actuando como trabalhadoras sexuais. Outras coortes de SNE,s também foram identificadas, como homens que fazem sexo com homens (HSH), parceiros não infectados em casais sero-discordantes nos quais um é conhecidamente infectado pelo HIV, hemofílicos que receberam hemoderivados contaminados pelo vírus no início dos anos 80, antes da implementação da triagem ao sangue dos doadores, e usuários de drogas injectáveis. Mesmo após vários anos de pesquisa, continuamos sem saber como esses indivíduos continuam escapando do HIV. Depois do estudo de Plummer, grande parte dos cientistas descartou a hipótese de se tratar de mera coincidência e acredita que essas raras pessoas podem possuir algumas características genéticas ausentes na maioria da população. Desde então, a comunidade científica empenha-se em descobrir quais são essas características e porque apenas alguns seres humanos as possuem. Mas identificar e caracterizar os possíveis mecanismos de protecção desses indivíduos tornou-se um exaustivo e inconclusivo esforço que gerou resultados conflituosos e por vezes, controversos, levando alguns pesquisadores a adoptar uma postura profundamente céptica. A possível identificação de respostas imunológicas específicas ao HIV nestas pessoas poderia fornecer dados importantes para o desenvolvimento de vacinas contra a SIDA, mas mesmo os cientistas que permanecem estudando os SNE,s não têm a certeza de que importantes pistas imunológicas virão à tona por meio desses indivíduos. Contudo, quase todos concordam que vale a pena continuar o estudo dos SNEs.

A comunidade cientifica chegou à conclusão de que é possivel desenvolver uma vacina anti VIH, no entanto essa tarefa leva tempo e se considerarmos o tempo que vacinas demoraram a ser desenvolvidas para outras patologias não podemos desesperar face à necessidade urgente de uma vacina para o virus da SIDA, pois a investigação começou apenas em 1983.

A titulo de curiosidade a vacina para a Febre Tifóide demorou 105 anos a ser descoberta; para a Tosse Convulsa 42 anos; para a Poliomielite 47 anos; para a Varicela 42 anos etc.etc.

A vacina para a Malária já tem mais de 112 anos de investigação e ainda continua a ser investigada.

Um dia teremos a nossa vacina certamente e o HIV passará à história das grandes pandemias globais, que mataram milhões de seres humanos.
Fonte: Informação IAVI

6 comentários:

alex disse...

Querido Raul
Este texto é muito interessante para mim.
Concordo plenamente quando a comunidade ciêntifica afirma que existem pessoas que têm caracteristicas genéticas que as tornam resistentes ao HIV,embora raras.
Embora não tenha conhecimentos ciêntificos convivi durante décadas
com toxicodependentes e prostitutas de rua, nenhum grupo tomava qualquer pecaução a partilha de seringas era constante, assim como sexo sem perservativo.
Sei de duas pessoas ,uma deles nunca deixou de ser toxicodependente e já à anos que se tornou sem abrigo, que sairam ilesas ao HIV contra todas as probabilidades.
Não acredito que foi apenas pura sorte.
beijão

alex disse...

Raul
Voltei ainda para dizer,que acredito que seja bastante complicado, mas acredito que estes individuos,dariam importantes pistas à comunidade ciêntifica,para o desenvolvimento de uma vacina eficaz contra o HIV.
Um dia ,não muito longiquo o HIV terá a sua vacina.
Acredito
beijo

Fatyly disse...

O trabelho e a luta cientifica continua e vencerá todos os lobis que a querem travar.
Também já tinha lido um artigo sobre a imunidade ao HIV de alguns seres humanos nomeadamente flavam de casos em África.
Quando menos esperarmos teremos a vacina...mas até lá há que fazer um trabalho exaustivo de prevenção.

Gostei muito deste texto.

Beijos Raul

O Profeta disse...

És madeira verde
Ou apenas mulher perdida
Testemunha de berço feito de penas
Arca perdida da dor contida

Tudo isto é universo
Em límpida poça de água
Onde as conchas têm a forma de coração
Onde o sal afasta a mágoa

A ti que és minha amiga especial
convido-te a partilhar comigo o “sítio das conchas azuis”

Bom fim de semana


Beijo azul

SILÊNCIO CULPADO disse...

Raul

Aguardo a todo o momento o anúncio da vacina que permitirá curar o HIV. Desde que surgiu um caso de cura que apenas uma questão de tempo. Um tempo que não será já muito longo como tudo indica.
E vamos comemorar. Ah isso vamos!


Abraço

josiane disse...

Tive um relacionamento de sete anos e há três descobri que ele é soro positivo há dez anos(hoje treze anos),após várias consultas com um infectologista e com os resultados de meus exames todos negativos me sinto abençoada por Deus.Até mesmo ele que teve uma neurotoxoplasmose como primeira manifestação do vírus ,têm uma vida desregrada ,usa drogas pesadas e álcool ,abandonou o tratamento em 12/2009 leva uma vida "normal" sem as chamadas doenças oportunistas,mas bem longe de mim,não por preconceito mas sim por sua omissão, pois ele sabia ser portador do vírus e nunca me contou e também não usávamos preservativos.Um mistério ...que espero ver desvendado.